ACESSIBILIDADE
VRSTI: 
Noticia
Acaresti bate recorde na coleta de recicláveis em janeiro
05 de Fevereiro de 2020

Foram 219 mil quilos de materiais coletados, superando a média mensal de 121 mil quilos, o que representa um aumento de 81%

O balanço do mês de janeiro sobre a coleta e processamento de materiais recicláveis realizado pela Associação dos Catadores de Resíduos Recicláveis e/ou Reaproveitáveis de Santa Terezinha de Itaipu (Acaresti) surpreendeu. Foram 219 mil quilos de materiais coletados, superando a média mensal de 121 mil quilos, o que representa um aumento de 81%. A alavancada na coleta deu-se devido ao maior consumo das famílias nas festas de fim de ano.

Na prática, a renda mensal de cada um dos 57 associados saltou de R$ 1.700,00 ao mês para cerca de R$ 3 mil em janeiro. “Antes não tínhamos nome no comércio e nossa profissão era vista com outros olhares. Hoje o cenário mudou: temos crédito nas lojas, estrutura adequada para trabalhar, apoio da comunidade que cada vez mais separa corretamente os materiais e, principalmente, muito orgulho do que fazemos”, disse o presidente da Acaresti, Antônio Cândido de Moraes.

De acordo com o coordenador das atividades de Coleta Seletiva, Darlei Souza, hoje 85% das residências de Santa Terezinha de Itaipu participam do programa de reciclagem e dos 100% do lixo reciclado gerado no município, 85% vai para a Acaresti. Ele acrescentou que desde dezembro de 2018, toda demanda de energia consumida no barracão da associação provém da energia solar.

“Essas pessoas são verdadeiras fontes de inspiração. Pessoas dedicadas que com o tempo mostraram que é possível mudar conceitos e despertar para novas possibilidades”, ressaltou. Outro benefício para a associação foi o ganho da licitação para a coleta do lixo comum na cidade.

O prefeito Cláudio Eberhard é um entusiasta da trajetória de sucesso da Acaresti. “Um projeto digno de ser replicado. Aqui, mostramos que reciclamos vidas e não apenas lixo”, pontuou.

Dal Marcondes, da Agência Envolverde e presidente da Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental integrou o grupo de jornalistas que visitou a associação no fim do ano passado. Na ocasião ele disse: “volto com as melhores impressões possíveis”. “A Acaresti é um modelo a ser seguido. É o melhor exemplo que já vi”, destacou ele, ao acrescentar as inúmeras ações conhecidas na região.

Texto e foto: DC STI